Livraria Cultura

19.4.13

Estádio Centenario, Montevideo, Uruguai

Esta última semana estive no Uruguai e claro que não poderia deixar de passar no estádio que recebeu a primeira Copa do Mundo FIFA, na qual o próprio Uruguai foi campeão, vencendo a Argentina.

Na época o evento era bem menor e contava somente com 13 seleções. O estádio em questão é de 1930 e foi inaugurado bem próximo ao início dos jogos. 

Atualmente ele é referência histórica e é bastante desatualizado em termos do que consideramos ideal à segurança, funcionalidade, qualidade e conforto. O estádio conta com um museu do futebol, sem grande projeto arquitetônico, mas que conta com itens interessantes como camiseta antiga do Pelé, itens do Maracanzo (jogo em que o Uruguai venceu o Brasil em pleno Maracanã) e demais itens referentes às conquistas uruguaias, que já venceu duas vezes uma Copa do Mundo. Hoje também é sede de uma escola.


Acesso

O estádio fica em meio a um parque, com bastante área de escoamento do público em uma parte. Em outras, colado à via. Felizmente, Montevideo não tem um trânsito muito caótico, embora não tenha visto o trecho em dia de jogo. Como há um grande parque em volta do estádio, de certas partes ele nem pode ser bem avistado, muito mesmo por ele não ser tão alto em relação aos estádios de hoje.

Segurança

As muretas que limitam cada anel do estádio são baixíssimas, em concreto. Se houvesse  hoje uma remodelação, no mínimo colocariam um peitoril transparente, garantindo segurança e visibilidade. 
São 4 saídas de emergência, uma em cada canto do estádio, mas contam com longas escadarias, o que acaba com facilidade em esvaziar o local. A presença de fossos o caracteriza bem pela sua idade. São vários desníveis e fossos, inclusive com água na parte atrás do gol, revelando também o comportamento da época e talvez ainda atual.



Não há quase nada de sinalização o que é bem complicado em casos de pânico e emergências.

Os assentos são todos inadequados perante os ideais atuais. A parte superior dos anéis mais altos são como o estádio da portuguesa, o Canindé (SP), com degraus vazados como na foto abaixo. Na maior parte do estádio são assentos plásticos fixados nos degraus, como eram muitos de nossos estádios até pouco tempo. Atrás do gol há uma parte reservada às torcidas organizadas, com pouco desnível nos degraus, sem assentos e totalmente protegida com grades, revelando mais uma vez a violência nos estádios, característico da América Latina (sem deixar livre países como Inglaterra, Holanda, Alemanha, etc.).



 

 Há somente um telão, grande e suficiente para as informações. Banheiros são bastante problemáticos. Entrei em um feminino, com somente três gabinetes, bastante escuro e sem ventilação. A higiene também deve ser bem complicada. O estádio estava bastante sujo no momento da visita.

Sanitário feminino

Iluminação

A iluminação do campo deve ser suficiente já que a seleção uruguaia joga ali. Embora não tenha visto funcionando, ela é dos modelos mais antigos também.

Fachada

A fachada não tem nada de especial como os que temos hoje, sem estruturas aparentes ou revestimentos funcionais e/ou estéticos. Recentemente foi pintado e hoje apresenta desenhos futebolísticos em parte de sua  fachada voltada à rua. 

Em momento algum critico o estádio, só o comparo com o que seria ideal nos dias de hoje com todos os manuais da FIFA em questão e com os padrões de Copa do Mundo. Sem dúvida é um patrimônio para o futebol, marco do início de um evento que se tornou o mais importante do futebol mundial.

A visita ao estádio custa 5 reais e pode ser paga tanto em reais, pesos uruguaios, pesos argentinos ou dólar americano, o que facilita o passeio turístico.

*Todas as fotos foram tiradas por mim em 16 de Abril de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...