Livraria Cultura

1.1.13

Rostov Stadium

Resolvi abrir 2013 com um dos tipos de postagens da qual mais gosto e, que imagino ser o mais útil para quem está fazendo trabalho final de faculdade: análise de algum estádio. É também um post que não tenho feito tanto por ser o que requer mais tempo em pesquisa e em estudo próprio para ter o que escrever aqui e não só colocar fotos.  

Como o blog está um pouco saturado dos estádios nacionais, peguei um que vai ser sede da Copa do Mundo 2018, na Rússia. São vários estádios legais e interessantes e hoje posto sobre o primeiro deles o Rostov Stadium que ficará dentro de um projeto maior, o Rostov-on-Don, em Rostov Oblast. A região tem o projeto da cidade como forma de proteção e valorização do rio Don e do trecho arqueológico onde antigamente aconteciam rituais de sepultamentos pagãos.

O estádio promete ser sustentável, assim como a cidade onde está inserido, e deverá ter capacidade reduzida de 45 mil para 25 mil após o evento mundial.

Como podemos ver pelas imagens abaixo, a cobertura é elevada em relação à arquibancada, como no estádio Omnilife, o Volcano Stadium, México, o que pode facilitar a ventilação natural. A estrutura é metálica, treliçada e deve receber uma película de revestimento, permitindo semi-sombra, conforme o que se tem noticiado, permitindo certa iluminação natural.




Suas fachadas são abertas, teoricamente para impulsionar um comércio nesse complexo que o estádio deve se tornar, praticamente um shopping aberto. Como podemos ver abaixo, há um revestimento nessas fachadas, que deve dar certa proteção de ventos, chuvas com vento e sombreamento a estes estabelecimentos.




Tanto sua implantação como fachadas me incomodam um pouco, pela poluição e confusão sem ser muito harmônica. Dá para fazer tudo isso com certa harmonia, como o Frank Gehry é mestre em fazer, mas esta proposta em questão ainda parece que falta lapidar, tirar excessos, rever alguns conceitos iniciais.



São muitas informações e trajetos que se confundem. Em relação à segurança, todo o entorno deve ser limpo, em termos de trajetos serem fáceis de se notar, para que o público se espalhe radialmente para longe do estádio. Podemos ver coisas muito estranhas como o da foto abaixo.



O projeto ainda deve sofrer várias mudanças e a Rússia ainda tem certo tempo para isso. Não muito, mas ao menos para lapidar essa proposta em especial.

Abaixo, algumas imagens internas. O camarote, por exemplo, parece ser bem sem atrativos, praticamente algumas fileiras mais restritas, mas sem graça alguma, diferente do que temos visto atualmente nos principais estádios, onde as instalações VIPs e VVIPs vão muito além de uma poltrona/assento diferenciado. 


 O ponto que achei interessante na implantação é que, ao menos em uma das fachadas, dá para perceber que o estádio está em um terreno não-plano, se inserindo melhor e permitindo o trabalho dos andares de estacionamento e de suporte administrativo e vestiários.


Abaixo, apesar de estar em russo, dá para ver um estudo de insolação em relação ao período do ano. Tirem suas próprias conclusões - eu acho que pode ser um pouco complicado para o gramado, também pelas imagens internas. Porém, como se trata de uma região da Rússia da qual desconheço totalmente o clima, posso estar errada. Se tiver alguém que entenda melhor, favor comentar abaixo do post.


Embora o discurso seja sempre de sustentabilidade, novamente não encontrei informações coerentes e de fato críveis. O mesmo discurso 'blablabla' de sempre é o que vemos na divulgação do projeto: ventilação natural, aproveitamento da luz natural e proteção do entorno. Mas nada de detalhes revelados ainda. Espero ver em breve boas notícias, com novas surpresas tecnológicas e bastante desenvolvimento.

O projeto acima é feito pelo Populous, responsável por vários estádios sensacionais e alguns de gosto bastante duvidoso - vários deles já foram publicados aqui no blog.

Há também um projeto de uma estudante de arquitetura da Rússia, Anya Fesenko, que elaborou uma proposta que tem uma ou outra coisa interessante e se insere no ambiente, camuflando-se, também como o Volcano Stadium. Ela também faz lembrar uma das propostas elaboradas para o concurso do estádio nacional do Japão, onde o estádio se esconde sob áreas verdes.






Fontes:



3 comentários:

  1. Oi Lilian,
    Acompanho seu site a muito tempo, o acho muito interessante e me ajuda muito com os meus trabalhos de faculdade! Outro dia estava procurando no google sustentabilidade em estádios de futebol e como resultado apareceu um trabalho de um programa de pós graduação em engenharia da UFMT! Vc tem alguma informação sobre esta pesquisa ou este trabalho? Parabens pelo blog e q ele continue sendo uma ferramenta a todos que buscam conhecimento nesta área!
    abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wallace, ainda não conheço. Mas vou pesquisar. É um curso de de pós em sustentabilidade em engenharia? Realmente não ouvi falar. Se encontrar algo, entro em contato, deixe um contato seu, por favor. Obrigada pela dica. Pesquisarei, certamente.

      Excluir
  2. Oi Lilian,
    Vou ficar aguardando noticias suas! Parece que é PPGEEA Programa de Pós Graduação em Engenharia de Edificações e Ambiental, ou um nome parecido com esse da UFMT
    Obrigado
    Wallace Junior

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...